planograma

Como manter a boa execução do Planograma?

Quando você vai ao supermercado, já sabe exatamente onde procurar o que vai comprar, certo? Normalmente sim. E sabe o que isso significa? Que o Planograma foi executado corretamente, ou seja, que tudo foi perfeitamente planejado para facilitar e evidenciar a disposição dos produtos para o shopper (cliente) no ponto de venda (PDV).

A execução correta de um Planograma envolve, além da distribuição e apresentação estratégica dos produtos, o planejamento da estrutura da gôndola para facilitar o trabalho do varejista. Afinal, é importante que se saiba também elencar tudo isso esteticamente, de acordo com a disposição do espaço físico (altura, comprimento das gôndolas), da quantidade de produtos e dos diferentes tipos e marcas. Entretanto, para que se considere um Planograma bem executado, ele deve passar pelas mãos de um promotor, que é responsável por planejar tudo e atualizar constantemente.

Leia também:

Equipe de promotores: a importância de manter tudo alinhado

Os KPIs Trade Marketing que devem compor a gestão básica de trade

Por que eu devo ter um Planograma planejado e atualizado?

Pense agora em uma mercearia ou numa quitanda. Os produtos também têm seus lugares nas prateleiras, mas você os encontra com a mesma facilidade em que encontra os produtos no supermercado? Não, é muito difícil, mesmo se tratando de um estabelecimento menor.

Isso acontece porque, normalmente, esses estabelecimentos não possuem um Planograma, e a tarefa acaba por ficar na mão do varejista, que distribui os produtos de forma mais mecânica (e não estratégica). Desta forma, perde-se a oportunidade de conquistar o cliente oferecendo experiência. Por consequência, o acesso dos clientes aos produtos é prejudicado, diminuindo as vendas do estabelecimento.

Mas ter um Planograma planejado é a solução para isso, conforme nos mostra esse vídeo bem interessante do canal do Renato Bontempo.

É difícil de implantar e quais ferramentas usar?

Não, não é! Atualmente, é cada vez mais comum que a indústria auxilie o varejista (sim, este papel é seu como fabricante!) com a elaboração e execução de Planogramas – ou seja, que o processo seja facilitado, e se dê por meio de aplicativos.

Com os apps, é possível que o Planograma seja não apenas elaborado e executado, mas também atualizado e monitorado frequentemente, para melhor acompanhamento das métricas e dos resultados.

Leia também: Uso do BI para acompanhar equipes de Trade

Outras vantagens no uso dos aplicativos na execução do planograma

  1. Uma vez feito no aplicativo, o Planograma se torna adaptável: é possível atualizá-lo quantas vezes forem necessárias, de acordo com a observação dos clientes, ou até mesmo de acordo com decisões internas entre o gestor e o promotor;
  2. Facilita a visualização e a compreensão do Planograma por quem o utiliza;
  3. Pode ser acessado em qualquer lugar, por todos aqueles que fazem parte da equipe, oferecendo uma comunicação ágil e prática entre gestor, promotor e colaboradores;
  4. Pode ser monitorado em qualquer lugar: dentro e fora do PDV: pelos colaboradores no ambiente de trabalho, e pelos gestores durante reuniões na sede da empresa, por exemplo;
  5. É fácil: pode ser feito apenas com a utilização de um smartphone e acesso à internet;
  6. Não tem necessidade e/ou faz uso de outros dispositivos, computadores e softwares para manuseamento;
  7. É responsivo: é um aplicativo de fácil utilização, não havendo grandes dificuldades para adaptação da equipe à ferramenta;
  8. É seguro: enquanto um Planograma impresso comum pode ser perdido ou modificado (de forma que se torne ininteligível), o aplicativo oferece todas as mudanças e atualizações feitas salvas em um banco de dados de fácil acesso (e em tempo real);
  9. É sustentável: Planogramas impressos, além de ultrapassados e confusos, poluem o meio ambiente à medida em que podem demandar grande utilização de papel ao longo do tempo;
  10. É barato: os aplicativos para mobile reduzem custos relacionados não apenas à impressão, mas também à mão de obra dos colaboradores, pois otimizam totalmente os processos.

Quando feito o Planograma, são aplicadas estratégias e técnicas específicas baseadas em estudos e pesquisas feitas com o consumidor, favorecendo a exposição dos produtos do varejista e aumentando os resultados de compra (trata-se de uma tendência do mercado para se aproximar do consumidor e fidelizá-lo). Essas estratégias são baseadas na Árvore de Decisão de Compra.

E o que é Árvore de Decisão de Compra?

A Árvore de Decisão de Compra é um diagrama. Esse diagrama é uma espécie de “lista” que delimita, específica e hierarquiza todos os elementos que influenciam o shopper a comprar algo, todos os gatilhos que o impulsionam, todos os que decidem a compra, que o fazem escolher determinado produto, uma marca específica, dentre outros fatores.

Basicamente, o diagrama da Árvore de Decisão é a resposta para as seguintes perguntas:

  • Para quem é o produto?
  • Para consumir em qual momento?
  • Qual tipo de produto?
  • Qual marca?
  • Qual sabor?
  • Qual o tamanho da embalagem?

A Árvore da Decisão de Compra é o coração do Planograma, e, portanto, o fator decisivo no aumento das vendas.

Com essas estratégias executadas em aplicativos, todo mundo sai ganhando: os clientes, que encontram mais variedades de produtos de forma fácil, os varejistas que vendem mais, a equipe, que agiliza os processos, e até o meio ambiente, que não sofre desperdícios de recursos e materiais (como o papel).