Guia completo para não errar na hora de realizar uma exibitécnica

Para ajudar você a evitar erros na hora da exibitécnica, preparamos este guia incrível. Vamos conferir? Como a maioria dos varejistas sabe, trabalhar com vendas é algo bem mais complicado do que parece.

A maioria das informações que nosso cérebro processa (83%) chega através do nosso sentido de visão. Está certo. Somos predominantemente visuais quando digerimos informações em comparação com nossos outros sentidos. Se você já pensou na importância da identidade visual de sua loja, essa estatística deve chamar sua atenção.

Pense desta maneira: cada centímetro da sua loja custa dinheiro. Agora, pense nas áreas da sua loja que têm potencial para ganhar dinheiro. Você não pode se contentar com exibições ineficazes na loja.
É aí que entra o visual merchandising. O visual merchandising é um conceito de varejo testado pelo tempo que se concentra em melhorar o apelo estético de um produto ou loja para atrair clientes e aumentar as vendas.

Há muitos truques do comércio que os varejistas podem usar para otimizar cada metro quadrado de uma loja. Entre eles, a exibitécnica.

Qual a diferença entre o visual merchandising e a exibitécnica?

A exibitécnica nada mais é do que uma ferramenta do visual merchandising / vitrinismo, que visa a utilização da criatividade para a exposição de produtos no PDV. Essa técnica é considera a artilharia mais pesada dos pontos de venda, pois trabalha não apenas com um ponto específico e sim com o estabelecimento inteiro.
Obviamente o impacto visual é a parte mais importante da exibitécnica, mas é preciso muito mais do que isso para atingir o real objetivo. Para que surta o efeito desejado, no entanto, é necessário tomar alguns cuidados. Confira algumas dicas de como montar uma exibitécnica de sucesso.

O que é exibitécnica?

1. Considere cores de exibição

A cor desempenha um papel importante em atrair um cliente em potencial para a sua loja. Ele também tem o poder de evocar emoções fortes e influenciar a maneira como seu produto é percebido. Nosso cérebro – sendo hiper visual – atribui certas emoções a cores específicas. Enquanto azul e verde são calmantes, vermelho e laranja são considerados excitantes.

Pesquisas sugerem que as pessoas têm maior probabilidade de lembrar uma cor sobre um objeto ou produto. O mesmo estudo diz que os compradores tomam uma decisão de compra dentro de 90 segundos de interação com um produto, e mais de 60% da avaliação é baseada apenas na cor.

Dicas:
• Cores ousadas chamam a atenção. No entanto, se você perceber que as janelas do seu vizinho estão cheias de vermelhos e laranjas, use uma paleta mais escura para criar um contraste total.
• Usar um pano de fundo sutil pode ajudar a manter a atenção do seu cliente nos produtos que você deseja vender. Há uma razão pela qual muitos varejistas optam por planos de fundo de cor sólida (particularmente branco ou preto sólido): seus produtos realmente aparecem nesse cenário.
Temporada após temporada, marcas de alta moda como a Moschino demonstram seu domínio da vitrine, explorando os dois lados do espectro de cores.

2. Jogue com sinalização

A sinalização pode ser direcional, informativa ou promocional. As sugestões visuais inteligentes orientam o seu cliente através da sua loja de forma estratégica e fornecem-lhe as informações de que precisam, quando precisam. Pense na sinalização como uma fonte eficaz de informações quando sua equipe de vendas está ocupada com outros clientes.
A atenção humana é de cerca de oito segundos. Portanto, certifique-se de que seu cliente possa encontrar o que está procurando naquele momento ou arrisque-se a perdê-lo.
Dicas:
• Brinque com gráficos, imagens e iconografia para adicionar personalidade à identidade visual de sua loja e atrair seu cliente. Seus anúncios podem fornecer as informações de que os clientes precisam enquanto ainda são uma extensão de sua marca – portanto, divirta-se com eles.
• Certifique-se de que sua sinalização possa ser entendida de imediato. Use uma cópia grande e em negrito, sempre que possível.
• Peça a um amigo ou membro da família que localize um produto de alta venda em sua loja e observe seu comportamento. Observe onde eles esperam ver informações e não se esqueça de colocar sinalização nessas áreas-chave.

3. Iluminação

A iluminação molda a atmosfera geral de sua loja e ajuda a chamar a atenção de um comprador para um determinado item em uma exibição. Como a sinalização, ela pode guiar com elegância o comprador até as áreas da loja que você quer destacar.

Existem três técnicas de composição de iluminação – iluminação primária, iluminação de realce e iluminação ambiente.
A iluminação primária é a iluminação geral da sua loja. A iluminação de destaque atrai o foco do comprador para uma exibição específica. Iluminação ambiente tende a ser mais dramática na medida em que joga luz da sombra para criar um efeito intrigante.

Um estudo de campo recente analisou o impacto da iluminação no comportamento do cliente. A pesquisa descobriu que os clientes passavam mais tempo em áreas da loja que tinham iluminação mais quente e que a média de vendas por cliente aumentava 1,93% quando uma instalação de iluminação dinâmica era introduzida.
Dicas:
• Tenha cuidado para não deixar sua iluminação primária muito fraca, pois ela causa o maior impacto geral e pode afetar a experiência do cliente. O contraste facilita a percepção.
• A iluminação de realce deve ser usada esparsamente para evitar canibalizar seu efeito. Seja atencioso sobre quais produtos você deseja destacar. Por exemplo, considere o uso de acentos nos níveis mais baixos de uma unidade de prateleiras, o que pode não atrair naturalmente o olhar de um comprador.

4. Conte uma história com agrupamento de produtos

A maneira como você agrupa os produtos exibidos pode atrair a atenção do cliente e até mesmo estimular sua imaginação com ideias sobre como eles podem ser usados. Comece contando uma história. Por exemplo, apele para o padeiro interior, colocando travessas de bolo intrincadas ao lado de servidores de bolo e mistura de bolo. Os itens podem ser agrupados com base no esquema de cores ou uso, mas o objetivo é amarrá-los todos juntos.
Dicas:
• Use a regra de três ao criar exibições. É mais provável que você capture o olhar de um cliente quando seu cérebro é acionado pelo desequilíbrio. Isso pode realmente ser aplicado a todos os números ímpares.
• Tente incluir um objeto no monitor que faça o cliente parar e olhar duas vezes. Incorpore algo que quase parece estranho ou fora do lugar.

5. Estabeleça uma hierarquia

Seu risco de exibições desaparece no horizonte quando você apresenta todos eles a uma altura uniforme. Experimente diversas alturas para criar contraste visual e capturar o interesse do cliente e aumentar o envolvimento com seus produtos.
Dicas:
• Tente inclinar seus monitores a 90 graus em vez de colocá-los horizontalmente. Isso facilita a interação do cliente com o produto.
• Crie um ponto focal claro e posicione os produtos de suporte em cascata abaixo dele. Essa técnica é chamada de Princípio da Pirâmide (por razões óbvias).

6. Otimize as informações que estão sendo dispostas

Sua vitrine é a primeira impressão que seu cliente terá da sua loja física. É um ótimo lugar para informar aos compradores o que há de novo, quais produtos são mais vendidos e o que está à venda. Pense nisso como um estágio controlado em que você pode se comunicar e jogar com sua marca.
A pesquisa de Russell R. Mueller sugere que os displays podem aumentar as vendas em 540%, e um hotspot bem planejado pode aumentar as vendas em 229%. Os pontos de acesso são as áreas da sua loja que obtêm mais tráfego e são as mais visíveis.
Dicas:
• Use elementos repetidos para criar uma exibição poderosa e exibir uma variação de produtos.
• Evite a desordem. Assegure-se de que haja espaço adequado em torno dos produtos que você está apresentando – exibições movimentadas contam uma história confusa e é menos provável que convertam os visitantes em clientes.
• Procure atualizar sua exibição pelo menos uma vez por mês para continuar atraindo clientes para sua loja. Leve seus inventários mais atuais para o centro e atraia até mesmo clientes fiéis para ver o que há de novo.

Incorporando Tecnologia ao Visual Merchandising

Se os últimos anos nos ensinaram alguma coisa, é que o impacto da mídia digital no varejo está apenas crescendo.

Mais da metade dos entrevistados (63%) em um relatório recente da Sign Stix admitiu que a sinalização digital chama sua atenção. Elementos digitais como telas sensíveis ao toque, interativas e que permitem que os compradores pesquisem, naveguem e compartilhem continuarão a ser integrados a monitores da loja. A tecnologia wearable e beacon também adicionará uma camada adicional de interatividade para os consumidores interessados em tecnologia.

Experimentar as técnicas testadas e comprovadas acima é um ótimo lugar para começar, mas mantenha os olhos abertos para as tendências que você pode adicionar à sua combinação visual de merchandising no futuro.

Depois de tudo isso, você ainda tem dúvidas de que precisa implementar essa técnica em sua estratégia de visual merchandising? Ente em contato com a Top Target agora mesmo e encontraremos a melhor opção para terceirizar a sua equipe de promotores.

Quais métodos de merchandising visual você usou para reforçar suas vendas? Compartilhe seu conselho nos comentários abaixo.

Visual merchandising: Por que prestar atenção nas vitrines e interiores comerciais?